Acessibilidade - ouvir

| Valorização do Ensino Profissional

A participação dos alunos dos Cursos Profissionais no concurso “Sabores e aromas das viagens magalhânicas” pretendeu valorizar e promover as ofertas profissionalizantes de nível 4 do Quadro Nacional de Qualificações, promover o conhecimento sobre o contexto das Viagens Magalhânicas e possibilitar a partilha de saberes.

Fernão Magalhães nasceu em Sabrosa, apesar da existência de outras referências do seu local de nascimento (Porto, Gaia ou Ponte da Barca), o que incentivou ainda mais a participação nesta iniciativa, pois é um orgulho poder conhecer e dar a conhecer não só um homem português, mas um nome transmontano.

Foram, portanto, várias as razões que motivaram a apresentação desta candidatura, nomeadamente: valorizar a oferta formativa; promover a gastronomia local; contribuir para as comemorações do V Centenário da Viagem Circum-navegação de Fernão Magalhães, que embora esteja mais ligado a Sabrosa, é uma referência para Trás-os-Montes. Este navegador português deu a conhecer-se e a conhecer o mundo e Portugal, numa época de aventuras e descobertas. A sua viagem, provando que a Terra é redonda, alargou horizontes, estando o seu nome ligado ao reconhecimento mundial e à valorização da ciência e do conhecimento.

Começando este ano as comemorações do V Centenário da Primeira Viagem Circum- Navegação (2019-2022), comandada por Fernão de Magalhães, tendo como mentor o Governo Português, através da Resolução do Conselho de Ministros n.º 52/2018, de 4 de maio, este Concurso, associado à gastronomia, permite conhecer os sabores dos países por onde passou o navegador português (Portugal, Espanha, Chile, Filipinas, Uruguai, Brasil, Argentina, Indonésia e Cabo Verde).

Os nossos alunos do Curso Profissional de Técnico de Cozinha/Pastelaria, do 3.º ano, mais precisamente as alunas Sandra Silva Gonçalves, Jéssica Gonçalves da Silva e Jéssica Gonçalves da Silva, participaram no Concurso “Sabores e aromas das viagens magalhânicas”, da responsabilidade do Ministério da Educação, através da Agência Nacional para a Qualificação e o Ensino Profissional (ANQEP), em articulação com o Turismo de Portugal e o Instituto do Emprego e Formação Profissional. Este concurso consistiu num certame gastronómico composto por várias provas. As alunas foram preparadas pelos formadores de Cozinha/Pastelaria, chef Maria do Céu Gonçalves e chef Jorge Vaz, e o portefólio teve o título de “Circum-sabores: da terra para o mar”.

A participação em concursos desta natureza levou os nossos alunos do Ensino Profissional a ser mais empreendedores, tendo em conta o valor do trabalho de equipa, a criatividade e originalidade quer de pratos, quer dos seus ingredientes, tornando estes alunos orgulhosos por frequentarem o Ensino Profissional.

Tendo o nosso Agrupamento de Escolas uma Cozinha Pedagógica apetrechada com equipamentos modernos e tendo técnicos competentes de Cozinha/Pastelaria e de Pastelaria/Padaria e alunos motivados, não poderiam de deixar de participar neste evento, que colocou os nossos formandos em etapas de desafio, de competição, de resolução de problemas e até de liderança, características reveladoras dos grandes empresários e de profissionais de topo.

O concurso teve três etapas. A primeira etapa consistiu na candidatura pelas escolas através da apresentação de uma proposta de valor com ementa, cobrindo uma entrada, um prato principal, uma sobremesa e duas bebidas, com fichas técnicas alusivas aos países da Rede de Cidades Magalhânicas, mise-en-place prevista e justificação da sua escolha. Além disso, o portefólio englobava os principais pontos fortes; razões para apresentação da candidatura; envolvimento da comunidade escolar no desenvolvimento do projeto; listagem dos ingredientes extra.

Os nossos alunos apresentaram como prato de entrada “Camarão areado em farinha de milho com coulis de pimentos multicor e ervas”, tendo por base a mistura de sabores e aromas nacionais e internacionais, nomeadamente os países por onde passou Fernão de Magalhães. Para este prato de entrada, foi tido em conta a partida de Magalhães, de Sevilha, em 1519. Foram utilizados as três cores de pimentos, vermelho, verde e amarelo, que teve como objetivo evidenciar as cores da bandeira portuguesa. Assim, neste prato foi destacada a irmandade entre os dois países, a quem Miguel Torga apelidou de Ibéria.

O prato principal, intitulado “Confitado de barriga com sabores exóticos”, teve como proteína principal a carne de porco, pois seria uma das carnes conservadas com maior durabilidade, através do sal e da conservação, associada à batata doce e ao ananás. O empratamento do prato principal teve como orientação a travessia do Oceano Atlântico e a chegada de Fernão de Magalhães e a sua comitiva ao continente sul-americano.

A sobremesa teve por base os frutos tropicais e deu-se o nome de “Nau Vitória como mousse de manga” para enaltecer o regresso da Nau Vitória a Espanha, destacando-se a apresentação deste doce em forma de nau.

A nível da área restaurante/bar, foi decidido a referência da descoberta das especiarias e dos sabores sobretudo exóticos. Procurou-se elaborar uma bebida alcoólica e outra não alcoólica para satisfazer os gostos dos provadores e membros do júri. Nesta parte, deu-se o nome “Baiana”, para a primeira bebida, porque está associada às terras tropicais e a segunda de “Terra de chocolate com aromas tropicais”.

Após o apuramento da primeira etapa, os nossos alunos foram defender a etapa presencial na Escola de Hotelaria e Turismo do Douro (Lamego), no dia 13 de março, com mais nove escolas: Escola Profissional Infante D. Henrique; Escola de Hotelaria e Turismo do Douro – Lamego; Agrupamento de Escolas Castêlo da Maia; Centro de Emprego e Formação Profissional de Vila Real; Centro de Emprego e Formação Profissional do Alto Tâmega – Chaves; Escola Profissional Espinho; Escola Profissional de Fermil – Celorico de Basto; Externato Oliveira Martins; Instituto Nuno Álvares.

As escolas da NUT norte que passaram à fase nacional foram: a Escola Profissional Infante D. Henrique e a Escola de Hotelaria e Turismo Douro-Lamego. A grande vencedora, em Lisboa, no dia 2 de abril, foi a Escola Profissional de Vale do Tejo – Santarém, que recebeu uma viagem para assistir ao Campeonato do Mundo das Profissões (WorldSkills), que decorre em Kazan, na Rússia, de 19 a 28 de agosto.

O funcionamento do Curso Profissional de Técnico de Cozinha/Pastelaria, criado em 2016/2017, no Agrupamento de Escolas de Vila Pouca de Aguiar, revelou-se um êxito. Isto mesmo pode ser comprovado através do entusiasmo dos alunos que, praticamente sem desistências ao longo dos três anos, irão realizar as suas Provas de Aptidão Profissional (PAP) nos dias 15 e 16 de julho.

Parabéns a todos os alunos do Curso de Cozinha/Pastelaria!

Parabéns, também, às nossas alunas e formadores que participaram neste concurso!

Ementa do Agrupamento